História da Capelania São Roque

capelinaDesde que este Hospital, de Dermatologia Sanitária do Paraná, Colônia São Roque, abriu suas portas pela 1º vez, aqui vivem e convivem os Franciscanos.

Francisco de Assis no limiar de sua conversão encontrou um doente muito sofrido pelo caminho. Abraçou-o e deu-lhe seu manto. A partir deste instante sua vida se transformou, e ele tornou-se o Santo de Assis.

Compreenderam as autoridades religiosas da época ser vital para todos a presença de um capelão neste Hospital.

Assim veio em 1926 Frei Nicodemos Grundhoff da Alemanha. Falecido em 1949, conhecido como o pai de todos os doentes. Seu sucessor foi Frei Mário Winkell, também alemão, que morreu em um acidente em 1966. Entre tantos serviços prestados construiu a praça central e a capela inaugurada em 1957, onde repousam seus restos mortais. Depois, vieram mais alguns confrades.

Qual a missão? Qual a tarefa? Isto não pode ser quantificado em dados. “A história maior é invisível aos próprios olhos.” É muito vasta a contribuição dos Frades Franciscanos aqui. Contribuição material, cultural, religiosa, social e humana, tanto dentro do Hospital, como junto às populações mais pobres da periferia e junto à sociedade. O amor, diante de tantas circunstâncias humanas tão complexas e nem sempre compreensíveis, envolvendo a vida.

Resta a certeza de que a vida é maior do que a história.

Paz e Bem!

Frei Rui Depiné